sexta-feira, 30 de maio de 2008

005 - História medieval XI

Os mais rápidos continuam a fugir; correm sempre com o medo muito presente. Neste momento já nada é importante para eles; os conhecidos, os vizinhos, os amigos e até a família foram banidos, ainda que temporariamente, da memória. A esperança de os voltar a ver desapareceu por completo e o que lhes resta agora é fugir; salvar a vida. Sobreviver é tudo o que importa. Continuam a correr, pois sentem que por mais longe que estejam continuam vulneráveis. Ignoram as feridas do corpo, o torpor dos membros, o latejar da cabeça e o ardor nos pulmões. Aguentam tudo... ao ponto de desejar o alivio súbito da dor, nem que para isso cheguem a desejar ser levados pelo alívio da morte.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

004 - História medieval X

ENVOLVIDOS… à sua volta a confusão era muita; os gritos dos companheiros, vizinhos e amigos; corpos de homens, mulheres e crianças mutilados; muito pó no ar e os sons dos quais todos tentavam fugir. Eram os sons do metal contra o metal, ou o som seco dos cascos a bater no chão quase oco, provocado pela secura do solo. Por mais bem escondidos que estivessem ou por mais distantes que se encontrassem, mão valia a pena… porque este era um daqueles momentos em que o próprio céu se vira conta nós.

quarta-feira, 14 de maio de 2008

003 - História medieval IX

O envolvente manto negro da Morte continua a alargar pela mão hábil e o engenho dos invasores. Vidas são ceifadas sem misericórdia e de maneira criteriosa obedecendo, concerteza, a um plano bem estudado.
Os aldeãos invadidos estavam perdidos… para onde quer que fossem, para onde quer que fugissem, o fim estava presente pela mão fria da morte.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

002 - História medieval VIII

A crueldade e frieza do ataque só pode ser justificada pelo secretismo da missão. Será, pelo menos, esta a justificação que cada um dos atacantes encontra para se desculpar perante os actos mais cruéis.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

001 - História medieval VII

Já apeados, os soldados invasores procuram os restantes aldeãos que, até aquela altura se conseguiram manter escondidos pela aldeia. Para eliminar quaisquer testemunhos da invasão, homens e mulheres são eliminados sem qualquer piedade.