quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

026 - Regresso de Angoulême III

Este desenho foi feito com caneta (antes de ter acabado com as recargas de tinta da china). Gosto principalmente do traço errático (provavelmente provocado pela turbulência da viagem :-)) que lhe dá um aspecto bastante espontâneo. Este é um daqueles casos que eu não teria coragem de finalizar com medo de estragar.

025 - Regresso de Angoulême II

Este é mais um esboço feito no caminho de regresso a Portugal. O objectivo destes desenhos rápidos é exercitar a capacidade desenho procurando, não só, melhorar as proporções e a relação do claro/escuro mas também, encontrar alguma espontaneidade no desenho. No caso do desenho de pessoas ou animais, tento representá-lo nas suas posições mais "naturais".

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

024 - Regresso de Angoulême

Olá cá estou eu outra vez :-)...
À semelhança do que tem acontecido sempre que vou a à Feira de Banda Desenhada de Angoulême, regresso “insuflado” de ideias novas e cheio de energia para iniciar novos projectos. Apesar de ser uma feira com muito para contar e apesar de vos ter "provocado" um pouco na mensagem anterior, não vos vou falar muito do que lá se passou, uma vez que foge um pouco ao objectivo que me levou a criar este blog. Não querendo também deixar-vos sem qualquer notícia sobre a feira e para que os mais interessados e curiosos possam saber um pouco mais do que lá se passou, deixo-vos estes dois links: Anyforms Design e Selective, o blog de Carlos Reis.
Voltando “à vaca fria” vou-vos mostrar alguns desenhos que fiz durante os dias que passámos na feira. Infelizmente não tive a oportunidade de perder muito tempo a desenhar (porque para além do tempo que gastámos em viagens, a comer, beber e dormir, o restante foi passado a babarmo-nos para a banda desenhada, que estava presente para onde quer que fossemos).
A maior parte dos desenhos que vos vou mostrar, foram feitos à hora da refeição ou em andamento (na viagem de regresso a Portugal enquanto estava no banco de trás à espera da minha vez para ir para o volante).
Este desenho foi feito no regresso a Portugal. Por curiosidade, a grafite é aqui utilizada porque durante a viagem acabei por ficar sem recargas de tinta da china para a caneta.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

023 - Angoulême 2008

Caros amigos, pelo 3.º ano consecutivo vou a Angoulême (Yeessss!!!!....). Para quem não sabe é a maior feira do mundo e arredores, de Banda Desenhada (ou pelo menos a maior que eu conheço :-)). Vou, por isso, estar indísponivel por mais ou menos uma semana. Conto no entanto, trazer algumas novidades sobre o que de melhor se publica em Banda Desenhada... até já!

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

022 - O gangster fumador II

Aqui vai mais um desenho do "gangster fumador" (que aqui não está a fumar). Este estilo já se aproxima mais daquilo que eu pretendo. Inconscientemente (ou conscientemente) estou a aproximar-me do alto contraste, que é uma técnica que me agrada bastante. Esta é uma solução que, se por um lado me agrada muito, por outro, está longe de ser de simples execução. O desenho foi feito com um esboço prévio a lápis e depois finalizado a marcador preto (foram utilizadas 2 ou 3 espessuras de marcador).

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

021 - O gangster fumador I

Este personagem, ainda sem nome, está a ser estudado para um pequeno projecto meu de Banda desenhada alternativa. Ainda ando à procura do "estilo" de desenho, mas sei que terá de ser fluido e bastante versátil. A história será uma surpresa, (até para mim).

020 - Exercício de luz/sombra

Um óptimo exercício para se treinar a sombra/luz é (utilizando o pincel e tinta da china ou uma caneta de feltro grossa) “desenhar sem rede”, isto é sem recurso a um esboço prévio a lápis. Este exercício ajuda também a melhorar a nossa noção de proporções. Neste caso tentei desenhar expressões e utilizei pincel e tinta da china.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

019 - Desenho, desenho, desenho...

Este esboço é um dos muitos, feito em papel de rascunho. Na minha mesa de cabeceira procuro ter sempre um monte de folhas, já usadas, nas quais vou desenhando tudo o que me vem à cabeça. Este esboço, curiosamente, foi feito uma noite em que não conseguindo dormir, tive que acender a luz, sentar-me e fazer qualquer coisa. O que fiz foi desenhar...

018 - Estudos úteis

De vez em quando vêm-me à cabeça algumas ideias de personagens ou mesmo de histórias que penso serem interessantes. Quando isso acontece, umas vezes pego num caderninho e faço nele um resumo das ideias; outras vezes passo à acção e começo mesmo a desenhar (como é este caso). Apesar disso a maior parte das vezes estas ideias não passam da fase de esboço, deixando-me apenas com a nítida sensação de que poderão vir a ser úteis no futuro (o que é verdade). Neste caso este esboço foi feito com o material que tinha à mão, que por acaso foi uma caneta gráfica.

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

017 - O Aviador

Este "pombo aviador" nasceu de uma brincadeira para um amigo, que foi tirar o "brevet" para os Estados Unidos. A primeira ideia que me veio à cabeça (que não foi nada original) para colocar numa T-Shirt foi um pombo a pilotar uma avioneta. No decurso da criação do personagem surgiram várias versões, das quais aproveitei esta. A cor é toda digital e aproveitei os contornos a lapis de maneira discreta.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

016 - Graffiti II

Estas são as duas últimas vinhetas pertencentes à prancha "graffiti", que vive muito da cor e da também da textura. O desfecho não é o tradicional "...e viveram felizes para sempre"...

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

015 - Graffiti I

Agora um estilo bem diferente. No curso de BD do CIEAM (Centro de Investigação e de Estudos Arte e Multimédia) concluí uma prancha baseada em parte de um poema. O exercício foi concebido para fazer coexistir vários estilos gráficos, desde figuras e símbolos a elementos textuais, dentro do mesmo plano, e em escalas diferentes (à semelhança de um graffiti). Este é o objectivo do exercício. Simples não? E porque suspeito que não o alcancei, dou-vos a minha interpretação: mentalmente tracei o meu objectivo (que na altura me pareceu o correcto); fazer qualquer coisa diferente, libertar-nos de pré-conceitos e "voarmos na maionese" (pelo menos foi assim que eu levei a coisa). O objectivo não foi, seguramente, alcançado, mas gostei bastante do resultado final. A técnica utilizada, sendo um pouco complexa (exigências do exercício) resumia-se na utilização códigos gráficos, criados por nós, utilizando uma ou mais técnicas à escolha, scaneando e finalmente montando tudo (recorrendo inclusive a imagens e texturas digitais) com uma ferramenta de imagem. Curiosamente hoje voltei a ler o exercício e já o interpretei de maneira diferente, o que significa que da próxima vez que o ler já o resolverei de outra maneira. É um excelente exercício e vou concerteza executá-lo de novo. Espero que gostem desta vinheta.

014 - Tiro na mosca

Aqui vai mais uma ilustração num estilo um pouco diferente... Este senhor com ar de poucos amigos é um provinciano (não que isso tenha algo de mau, mas decidi que seria um ermita que, com certeza estará mais isolado junto a alguma aldeia). De momento está a ver se encontra a mosca que o esteve a chatear durante longos minutos, com o objectivo de a alvejar a tiro. Claro que a coisa vai concerteza dar para o torto. Deixo-vos a imagem, o desfecho fica com a vossa imaginação. Utilizei lápis de cor e o contorno é a tinta da china preta aplicada com caneta gráfica.

013 - Surpresa!

Estava-se mesmo a ver o que iria acontecer, o atarefado guardião baixou a guarda e foi apanhado de surpresa. Só falta aqui a onomatopeia "Bum Bum" (o Orm a bater à porta).

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

012 -O guardião do Inferno


Este atarefado personagem pertence à guarda do Inferno (deve lá estar para vetar a passagem a quem lá queira entrar voluntariamente - daí a sua azafama). Aqui a perspectiva volta ao normal e a narração recomeça. Consegue-se adivinhar o que vai acontecer, não? :-)

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

011 - Às portas do Inferno


Aqui vai mais uma imagem do "personagem dos infernos". Aqui o Orm encontra-se de regresso aos Infernos (gostam da entrada? tem um ar terrífico não?). Esta vinheta deu-me particular gozo a fazer devido à perspectiva que consegui arranjar. A perspectiva deixa o leitor com um certo distanciamento da acção, transmitindo-lhe uma sensação de segurança (isto porque se encontra acima da ameaça, intocável.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

010 - 7.º Concurso de BD Amadora ´96


Esta é uma vinheta tripla (ou um conjunto de 3 vinhetas) de uma história de 6 pranchas, feita para o Amadora Cartoon de 1996.
De tema livre e tendo sido o assunto escolhido por mim a droga, criei esta pequena história de uma maneira muito improvisada, devido à decisão de última hora em participar no concurso. Uma das protagonistas desta história é a Chiba (a estranha personagem que já conhecemos da mensagem 002 de Dezembro). A técnica utilizada é mais uma vez aguarela, mas desta vez sobre papel couché (o que foi uma péssima escolha). Para o contorno do desenho foi utilizada esferográfica. O resultado final foi este, que não parece muito mau, mas que em exposição perdeu muita visibilidade porque a aguada enrugou muito o papel (como era de esperar) e ficou muito debotada. É claro que prémio não houve :-(... Foi a única vez que participei num concurso de BD.

009 - Orm, o enviado do Inferno


























Orm é um demónio que de vez em quando desce (ou sobe, como queiram) dos Infernos para vir "castigar" os mortais. O método dele é encarnar nos "mal comportados" e fazer com que ele se suicidem, levando-os assim para o inferno. A técnica que escolhi para ilustrar esta história, foi o aerógrafo, que na altura estava na moda. O método que arranjei para ilustrar as vinhetas foi esboçar e logo a seguir fotocopiar o esboço (isto para se alguma coisa corresse mal teria sempre o original). Logo a seguir aplicava a pintura a aerógrafo à fotocopia (daí os contornos estarem bastante carregados que é algo que me agrada) com a ajuda de mascaras. Apesar de ser uma técnica trabalhosa, o resultado era sempre bastante satisfatório. Depois vieram os computadores :-)...

008 - Supersoap

"Supersoap" é mais uma curta de uma prancha, com a influênciados super-heróis. Neste caso o super herói é utilizado com uma certa ironia e inserido num contexto muito específico, que é a visualização de novelas televisivas. A minha intenção, lá mais para a frente é colocar todas estas histórias que foram já finalizadas (que não são muitas) de forma integral, mas de maneira a que se possa tirar o maior partido delas.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

007 - Vilã em alto contraste

E quem é que resiste a um elogio destes (comentário feito ao desenho 06 de Janeiro)?
Só me resta satisfazer o desejo de tão simpático leitor :-)
Portanto aqui vai mais uma imagem pertencente à mesma bd de baixo. Esta senhora aqui é "o mau da fita" (até dá vontade da sair por aí a trepar paredes ou lançar teias, não?). Ainda se consegue ver a grafite do esboço, que muitas vezes deixo, porque pessoalmente gosto do aspecto "esboçado".

006 - Herói em alto contraste

Mais uma vez a influência dos Comics Americanos no meu trabalho e mais uma vez o uso do alto contraste (que é o que mais gosto de fazer, provavelmente por ser um mau colorista). Um dos meus gozos no desenho, em geral, passa também pelo uso abusivo do pormenor. Neste exemplo utilizei o pincel e tinta da china e o original tem sensivelmente a largura de uma folha A3. Este senhor é um herói ao "estilo" do Justiceiro ou Batman e prepara-se para ir "salvar o mundo". Espero que gostem, até porque tenho mais algumas vinhetas desta história que gostaria de publicar :-).

005 - Aventura em Lisboa

Este é um esboço em grafite de 2 vinhetas feitas para uma história passada em Lisboa num futuro indeterminado. É uma história de aventuras com muito humor à mistura. Oportunamente disponibilizarei mais informação sobre a história e também mais alguns desenhos para serem criticados :-) ...

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

004 - Cor em aguarela

Por vezes desenho apenas com o objectivo de experimentar materiais.
Este é um desses exemplos. Fiz o esboço da personagem e dei-lhe cor usando aguarela. Por último fiz o contorno a tinta da china com caneta gráfica.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

003 - Um esboço Isolado

Uma das minhas grandes influências no desenho e na BD são sem duvida os Comics Americanos. Este esboço foi feito com caneta gráfica e se o observarmos com alguma atenção conseguimos revelar algumas incongruências: braço direito flectido ou a cabeça quase a virar para cima (estas são acções que não são coerentes com a paragem brusca do corpo causada pelas grades - que é reforçada pelo fluxo de sangue). Existem concerteza outras... deixo, por isso, o desafio... observem-nas e assinalem-nas.

002 - Sequência


Tira inacabada na fase de finalização. Gosto particularmente de trabalhar o preto e o branco. A utilização da caneta gráfica dá ao trabalho um aspecto mais "limpo" e definido, permitindo acrescentar muito detalhe ao trabalho. Técnica: tinta da china

001 - Vingança Voodoo

Após ter aberto o baú dos meus desenhos de à 10 anos atrás, encontrei este esboço para uma prancha. Um boneco de Voodoo que acaba por ganhar vida e espetar o seu possuidor num acto de vingança. Grafite sobre papel.